RSS

Arquivo mensal: novembro 2012

Idoso ceifado por máquina agrícola

   Francisco Pereira ainda gritou por socorro, mas era tarde demais. Quando ontem à tarde a esposa do homem correu em seu auxílio, até à pequena horta, na Portela Alta de Cima, Castro Marim, encontrou o marido já à beira da morte.

A vítima foi encontrada caída, sem uma perna e com o motocultivador, que manobrava, ligado sobre o corpo. Aflita, a mulher correu à rua e pediu ajuda ao padeiro que passava e à única vizinha nos arredores. O homem, de 70 anos, acabaria por morrer no local devido aos graves ferimentos.

“Não se via nada da perna esquerda. Nem calças nem restos de osso. E o pé, solto, estava encravado nas lâminas da máquina”, descreve a vizinha, Joaquina Madeira, a quem, após o acidente, a esposa da vítima incumbiu de ligar aos bombeiros. “Estava tão nervosa que ainda marquei o antigo 115″, desabafa.

Ao que o CM apurou, o acidente aconteceu perto das 12h30, quando Francisco Pereira lavrava o terreno junto à casa. “Passava os dias entretido a trabalhar no campo, mas nunca se chegou a habituar àquela máquina”, conta Joaquina Madeira, que também ajudou a deslocar o motocultivador onde o homem estava preso e que continuava a segurar antes de morrer.

“Foi uma coisa terrível. O sangue foi engolido pela terra, mas ficou nas minhas mãos”, recorda a vizinha. O corpo foi retirado às 16h00, pelos bombeiros de Vila Real de Santo António, na presença da família, em estado de choque. No local, estiveram também o INEM e a GNR.

Fonte: Correio da Manhâ

 

Quixeramobim: Construtor é morto atropelado por trator de sua propriedade

Acidente com trator acontecido às 15 horas desta quarta-feira, dia 28, provocou a morte trágica do construtor de açudes Francisco José de Sousa, 63 anos, conhecido por “Chico Sarará”, que residia nas imediações do Conjunto Habitacional Argentina Siqueira, setor norte de Quixeramobim, sertão central do Ceará.

De acordo com informação da Polícia, a vítima, que possui uma patrulha mecanizada, composta de diversos tratores, utilizados pela sua construtora preferencialmente para a construção de projetos de açudagem e estradas vicinais foi vitima de um trator de sua propriedade, que desgovernado veio a lhe atropelar.

Socorrido por populares e encaminhado ao Hospital Regional Dr. Pontes Neto, o construtor “Chico Sarará” veio a óbito.

Segundo informações do Portal o Sertão é noticia, o corpo está sendo velado na residência do construtor e que segundo a familiares, o sepultamento acontecerá nesta quinta-feira, dia 29, às 15 horas, no cemitério Nossa Senhora do Carmo, em Quixeramobim.

Fonte: Monólitos Post

 
Vídeo

Acidentes com Tratores Agrícolas

Entrevista do Prof. Dr. Leonardo Monteiro Coordenador do LIMA- Laboratório de Investigação de Acidentes com Máquinas Agrícolas da Universidade Federal do Ceará, para o canal UFCTv sobre os acidentes envolvendo Tratores Agrícolas

aiveca@ufc.br

 
Vídeo

ACIDENTE TRATOR

 

Brasil tem o maior número de fatalidades com tratores e implementos agrícolas no campo

A mesma máquina que facilita o trabalho no campo se tornou uma das causas mais frequentes de acidentes e mortes no campo. Tratores e implementos agrícolas, quando utilizados sem a observação das normas de segurança, são a principal causa de fatalidades.

Conforme a Organização Internacional do Trabalho (OIT), o Brasil é líder em número de acidentes fatais com esses equipamentos no meio rural. São cerca de 3 mil mortes por ano no país. E a cada três acidentes ocorridos, um ocasiona a incapacidade permanente do trabalhador. Geralmente, o excesso de confiança, a imprudência e a falta de treinamento estão por trás das tragédias.

– Eu não morri por milagre – conta o agricultor Osvaldo Otto, 61 anos, que em agosto sofreu acidente com o trator novo.

Com o distribuidor de esterco acoplado à máquina, o implemento caiu em um buraco na lavoura em declive, na propriedade de 60 hectares em Barão de Cotegipe, no norte do Estado. O distribuidor puxou a máquina para trás e o trator tombou. Sem cinto de segurança, o agricultor foi arremessado.

Um dos poucos instrutores de operação de máquinas agrícolas dos Centros de Formação de Condutores (CFCs) no Estado, Osvaldo Rodrigues Júnior diz que os acidentes mais graves ocorrem justamente quando há queda ou capotagem do veículo.

– Na hora em que a máquina tomba, joga para fora o operador, que pode acabar embaixo do trator – explica Rodrigues Júnior.

O uso do equipamento em terrenos de aclive ou declive acentuado é outro fator de risco. Como a parte da frente é mais leve que a traseira, há o perigo de da máquina cair. Conforme Júnior, além de ignorar o aclive acentuado, muitos produtores ainda tomam atitudes perigosas na tentativa de estabilizar a máquina.

– Colocam bolsas de cimento e até pedaços de ferro na frente do trator para dar estabilidade e impedir a queda e, às vezes, o acidente é pior.

A mecanização das lavouras tornou mais rápido e eficiente o trabalho de milhares de agricultores brasileiros. A tecnologia permite que as avançou a ponto de algumas máquinas se parecerem com computadores.

Hoje, tratores e colheitadeiras já vêm de fábrica com equipamentos de segurança capazes de reduzir acidentes e evitar fatalidades. No entanto, a maior parte dos produtores rurais ignora as recomendações e corre riscos desnecessários.

– As máquinas evoluíram, mas a exigência de treinamento de quem vai operar e a fiscalização das normas não acompanharam – avalia o produtor e revendedor de máquinas agrícolas Isaquel Poletto, de Erechim.

Poletto aponta como um dos maiores problemas a falta de divisão das máquinas em categorias. A exigência para operar um trator básico é a mesma para uma colheitadeira de grande porte.

Atualmente, para dirigir máquinas agrícolas, é preciso ter carteira de habilitação categoria C. No entanto, os CFCs não têm treinamento específico para quem vai dirigir trator.

A orientação acaba saindo da revenda, obrigada a repassar os detalhes do equipamento. É assim que o técnico agrícola e especialista de gestão em agronegócios Leandro Rotava entrega os tratores na revenda onde trabalha em Erechim. Manual do veículo na mão, repassa toda a parte técnica e não se cansa de repetir as normas de segurança.

O perigo dos acidentes no campo não está só na queda de máquinas. A maioria dos implementos é dotada de muitas lâminas, facas e engrenagens capazes de mutilar.

– Uma proteção plástica vem de fábrica com o equipamento, mas é a primeira coisa que o produtor tira quando compra – conta Rotava.

Projeto quer mudar exigências para agricultores

A proposta do deputado federal Alceu Moreira (PMDB-RS) prevê habilitação categoria B e curso de formação profissional em substituição à exigência atual da habilitação categoria C – a mesma solicitada para dirigir caminhão. Para solicitar a carteira nesta categoria, hoje, o motorista precisa antes ter a habilitação B, aguardar um ano da permissão provisória, para só então solicitar a C.

– Isso faz com que a pessoa só dirija um trator depois de pelo menos um ano de experiência na direção de veículos automotores e curso específico para transporte de veículos de grande porte – salienta o instrutor Osvaldo Rodrigues Júnior.

No entendimento do deputado, no entanto, a legislação atual não condiz com a realidade e exclui profissionais experientes que só usam as máquinas na propriedade ou em trajetos curtos nas estradas.

– Os acidentes acontecem dentro das propriedades, onde a polícia não tem como fiscalizar. Eles não são ameaça à segurança do trânsito, até pela lentidão dos veículos agrícolas – explica Moreira.

O projeto foi aprovado pela Comissão de Viação e Transporte da Câmara e será avaliado pela Comissão de Constituição e Justiça. Se aprovado, vai para o Senado. A redução de exigência vale só para produtores e máquinas agrícolas. Para veículos de carga, terraplenagem ou pavimentação, os condutores continuariam com a exigência da carteira C, D ou E.

Para evitar acidentes

Especialistas ensinam como reduzir riscos:

— Use os equipamentos obrigatórios de proteção – botina, capacete (para tratores sem estrutura anticapotamento), colete refletivo, protetor auricular (para trator sem cabine), luva de couro, óculos de proteção e roupa apropriada.

— Confira o nível do óleo do motor, água, possíveis vazamentos, funcionamento dos freios e condições dos pneus.

— Verifique o terreno onde vai trabalhar. Quanto maior o trator, maior o risco de uma queda. Se a área estiver muito molhada, espere secar, pois o terreno pode ceder, ou ficar escorregadio a ponto de desestabilizar a máquina.

— Use sempre o cinto de segurança. Se o trator tombar, não tente pular fora, a estrutura anticapotamento do trator é construída para suportar todo o peso da máquina.

— Nunca mexa nas engrenagens da máquina sem desligar e tirar a chave de segurança da ignição.

— Não exceda a capacidade do equipamento, acoplando implementos maiores do que o trator é capaz de suportar.

— Não permita o uso do veículo por pessoa não habilitada e sem experiência, principalmente por crianças. Também não dê caronas.

— O trator não é meio de transporte para ir a bailes ou cidades, use estritamente no trabalho.

Fonte: Zero hora

 

Colisão entre um Carro e um Trator

283248_525959697416981_1637927697_n[1] 396663_525959420750342_824935356_n[1]Uma colisão lateral  entre um carro e um Trator, por volta das 18.30min desta segunda, 20, na Rodovia que liga  Penedo a Arapiraca  o  motorista  João Luiz Ferreira de 51 anos de idade residente em Igreja Nova que tem seu veiculo locado a secretaria de saúde da cidade que transporta  pacientes de hemodiálise as terça e quarta e ao sábado. De acordo com a Polícia Rodoviária (Posto SESI), o acidente aconteceu no povoado Pescocinho,  o veiculo. Besta de Placa MUH 4163 foi livrar um buraco na pista e colidindo lateral com um  trator que tinha como faróis só o lado direito funcionando,  Os passageiros da besta ,sofreram ferimentos leves foram medicados e liberados,  já o motorista da besta João Luiz Ferreira foi socorrido pelo corpo de bombeiros e a Samu sendo levado pra Arapiraca com fratura na perna  esquerda mais foi liberado, já o tratorista se evadiu do local  segundo as informações do Leo coordenador de Saúde de Igreja nova que estava presente.

Fonte: Jornal de Penedo AL

 

Carreta pega fogo após bater contra trator em rodovia de Itararé, SP

Acidente ocorreu na Francisco Alves Negrão nesta quarta-feira (22).
Trator estava parado no acostamento quando foi atingido.

Duas pessoas ficaram feridas em acidente entre uma carreta e um trator, em Itararé (SP). A batida ocorreu nesta quarta-feira (22) na rodovia Francisco Alves Negrão (SP-258).

De acordo com a Polícia Rodoviária, o trator estava parado no acostamento da via. O motorista da carreta, que estava carregada com material cerâmico, perdeu o controle da direção e atingiu o trator. Com o impacto, a carreta se incendiou.

Os motoristas dos dois veículos conseguiram fugir das chamas. Eles foram levados ao pronto-socorro da cidade e passam bem. O trânsito no local não precisou ficar interditado.

Fonte:  G1 Itapetininga e Regiã

 
 
Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 7.944 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: