RSS

Arquivo diário: 17 17+00:00 agosto 17+00:00 2012

Acidente – Acidente com trator causa a morte de um idoso em Nova Araçá

Silvano Farina, 73 anos, se deslocava com o veículo até a sua residência, na Linha XV
Na noite de domingo, 12, no interior de Nova Araçá um homem de 73 anos morreu em um acidente de trator.

De acordo com a Brigada Militar, Silvano Farina, se deslocava com o veículo trator de Nova Araçá até a sua residência, na Linha XV, onde tombou lateralmente o trator caindo dentro de uma vala.

O idoso morreu no local.

Fonte: Olá Serra Gaúcha

 
Deixe um comentário

Publicado por em 17 17+00:00 agosto 17+00:00 2012 em Acidentes com trator

 

Tags: , ,

Notícias – Estudo aponta participação de caminhões em 23% dos acidentes com mortes no Rio Grande do Sul

Um estudo realizado pelo Detran/RS sobre os acidentes com caminhões no Estado, disponibilizado no site da autarquia, apontou que os caminhões e os caminhões-tratores estão envolvidos em 23% dos acidentes com mortes no Rio Grande do Sul.

​Um estudo realizado pelo Detran/RS sobre os acidentes com caminhões no Estado, disponibilizado no site da autarquia, apontou que os caminhões e os caminhões-tratores estão envolvidos em 23% dos acidentes com mortes no Rio Grande do Sul. Os veículos, no entanto, representam apenas 5% da frota gaúcha. Isso significa que a participação percentual dos caminhões nos acidentes com vítimas fatais é mais de quatro vezes seu peso percentual na frota em circulação.

Do total de 8.665 acidentes que ocorreram entre 2007 e 2011 nas ruas e estradas gaúchas, 2.017 tiveram participação de pelo menos um caminhão. Os acidentes com pelo menos um caminhão envolveram 4.467 veículos, sendo 2.220 (50%) caminhões, 754 (17%) automóveis, 509 (11%) motos e 613 (14%) reboques. Bicicletas, com 148 (3%), e caminhonetes, com 154 (3%), completam os índices. O estudo utiliza a nova metodologia utilizada pela Autarquia, que contabiliza os óbitos até 30 dias após o acidente.

O número de vítimas fatais nesses mais de 2 mil acidentes chega a 2.408 (25% do total de 9.708 vítimas) no período. Do total de 12.171 veículos envolvidos em acidentes com morte (excluindo-se bicicletas, carroças e veículos sem registro), 18% eram caminhões ou caminhões-tratores. Das 1.255 placas identificadas, 87% são de veículos com placas do Rio Grande do Sul. Mais da metade dos acidentes com caminhões foram colisões (quando os veículos se chocam de frente).

Os atropelamentos representam um número importante: 310 casos (15%). O maior número de acidentes com esse tipo de veículo aconteceu nas sextas-feiras, dia de retorno dos caminhoneiros à cidade de origem, quando acontece o maior número de vítimas fatais. Em relação ao turno, concentraram-se no período diurno (60%), ao contrário dos acidentes em geral, que ocorrem com frequência à noite e durante a madrugada.

A matriz modal do RS, baseada no transporte rodoviário, ajuda a explicar a grande participação acidentes com vítimas fatais, já que 75% das ocorrências acontecem nas rodovias. Considerando a relação do volume de cargas transportadas pelas distâncias, as rodovias são responsáveis por 85,3% do total transportado no RS, quantidade superior à brasileira, que é de 68,6%.

Lei do Motorista Profissional

O Detran/RS entende que a Lei Federal nº 12.619/2012, que regulamenta a profissão de motorista do transporte de cargas e de passageiros, vai contribuir para a redução desses índices. A legislação exige dos profissionais períodos de descanso de 30 minutos a cada quatro horas, intervalo de uma hora para refeições, repouso diário de 11 horas, descanso semanal de 30h. Também proíbe a remuneração condicionada à distância percorrida, ao tempo de viagem e à quantidade de produtos transportados, entre outras medidas.

O diretor técnico do Detran/RS, Ildo Mário Szinvelski, avalia as novas regras como positivas, mas considera que adequações são necessárias, “como a criação de pontos de descanso, a intensificação da municipalização do trânsito, permitindo uma fiscalização mais efetiva, e também a aprovação no Senado do Estatuto dos Motoristas”.

 
Fonte: Detran RS

 
Deixe um comentário

Publicado por em 17 17+00:00 agosto 17+00:00 2012 em Notícias

 

Tags: , , , , , , ,

Acidente – Acidente com trator causa morte de agricultor no interior de Nova Candelária

O fato ocorreu por volta das 17:00 horas

Por volta das 17:00 hs de quarta-feira (15 de agosto), um acidente de trabalho causou uma morte no interior de Nova Candelária.

Volmir Klauck estava trabalhando em sua propriedade, na localidade de Lajeado Melancia,  quando em um local íngreme, ocorreu o tombamento do trator que dirigia, vitimando na hora o condutor em virtude dos ferimentos.

Fonte: Rádio Metrópole; Guia Crissiumal

 
Deixe um comentário

Publicado por em 17 17+00:00 agosto 17+00:00 2012 em Acidentes com trator

 

Tags: , , , ,

Publicações – Estruturas de proteção ao capotamento

Nos EUA, as mortes por capotamento de tratores agrícolas têm sido um problema identificado desde 1920, e hoje ainda continua liderando as causas de morte na agricultura daquele país

Dicas de prevenção

HUMANOS

Para os agricultores é recomendada a formação de um estabelecimento de ensino, o condutor deve conhecer as possíveis reações do trator e as situações de risco que podem estar presentes. Durante a operação do trator a atenção deve ser constante, evitando o excesso de autoconfiança.

FÍSICA

No trabalho:

– Aplicar o senso comum para cada risco, observe a inclinação máxima e sempre mantenha uma distância mínima de dois metros das bordas, valas, etc., cuidados na mudança de direção em relação a buracos ou irregularidades do terreno.

– Ao trafegar entre áreas com desnível sempre utilizar acessos adequados para mudar de áreas, a inversão nas encostas deve ser feita de forma harmoniosa e com o implemento levantado de tal forma que a frente do trator fique sempre na parte mais baixa do terreno.

– Não há necessidade de rebocar máquinas pesadas em declives acentuados, existe o risco de tombar para trás, se uma máquina é montada e esta suspensa acima do centro de gravidade do trator.

– Quando você inicia a descida em um terreno com o reboque carregado, defina a menor velocidade para evitar alterações e perda de controle do trator.

– Soltar o pedal da embreagem do trator sempre de forma suave e progressiva. Em modelos automáticos, deve acelerar suavemente após a ativação da mudança.

– Na ocorrência de tombamento e o trator estando equipado com estrutura de proteção ao capotamento (EPC) e cinto de segurança, segure firme no volante e NUNCA tente saltar.

Durante o deslocamento do trator utilize a trava de segurança dos freios mantendo-os sempre unidos.


Ao rebocar outras máquinas, certifique-se que o acoplamento do cabo de aço foi feito na barra de tração para garantir que o ponto de engate é o mais baixo
possível.

Segundo Loringer, nos EUA, as mortes por capotamento de tratores agrícolas têm sido um problema identificado desde 1920, e hoje ainda continua liderando as causas de morte na agricultura daquele país.

Springfeldt, afirma que sérias lesões causadas por capotamento do trator podem ser prevenidas pelo uso da estrutura de proteção ao capotamento (ROPS). Em alguns países, as autoridades já estabeleceram a obrigação do uso dessa medida de segurança há muitos anos e, em outros existe apenas recomendação. Na Suécia, a obrigatoriedade do uso dessa proteção em tratores novos foi estabelecida em 1959, na Dinamarca em 1967, Finlândia, 1969, Inglaterra e Nova Zelândia 1970 e Estados Unidos1972. O autor relata que na Suécia a frequência de acidentes fatais por capotamento para cada 100.000 tratores, foi reduzida de 17 para 0,3/ano, desde que foi introduzida a obrigatoriedade do uso da proteção ao capotamento.

Gassend em trabalho sobre acidentes fatais com tratoristas em Zagreb (Croácia) refere que a grande maioria dos acidentes (79%) foi por capotamento de trator.

Já Carlson et al. em estudo sobre dados referentes a lesões envolvendo operações agrícolas com tratores em 5 estados do Meio-Oeste dos Estados Unidos da América, referem que 1/3 de todas as lesões reportadas ocorrem no momento de subir ou descer do trator. Douphrate em estudo sobre lesões provocadas por tratores no Colorado (Estados Unidos da América), no período de 1992 – 2004, reporta que uma grande porcentagem dos acidentes (21%), ocorreram no momento de subir ou descer da máquina, e acrescenta que o tornozelo foi o local mais envolvido nas lesões. O autor sugere inclusive investigação no “design” relacionado à segurança quanto ao ato de subir e descer dos tratores. Em seu trabalho, somente 21% dos acidentes foram por capotamento do trator. Lee et al em trabalho semelhante também observaram que em mais de 40% das lesões relacionadas ao trator ocorreram no momento de subir ou descer da máquina.

Conscientização do operador, conhecimento da máquina e treinamento podem contribuir e muito para a redução dos acidentes com máquinas agrícolas.

Fonte: http://www.diadecampo.com.br

 
Deixe um comentário

Publicado por em 17 17+00:00 agosto 17+00:00 2012 em Publicações

 

Tags: , , , , , ,

 
%d blogueiros gostam disto: